Pernambuco Nação Cultural

Mais recentes


Avançada

Meu dizido timbaubense

14/02/2017 - 17:07
Autor(es): Jessé Costa

Cá na terra onde nasci
Prostituta chama quenga,
A virgindade é cabaço,
Mau discurso é 'lenga-lenga',
Desconhecido é 'boyzinho',
Medo é 'se cagar todinho'
E discussão é arenga!

Ninguém corre, dá carreira,
Se cair “se estrupia”
Quem “se rala” aqui ‘se rela’
Quem tem pressa diz ‘avia’
Quem é lerdo é ‘mêi-da-lua’
Ir ao centro é ir ‘na rua’
E o ‘olha só!’ é ‘mai-pia!’

Mal resolvido é pendenga
Formiga grande é saúba
Pouco caso é 'nem tchuiú!'
Cabelão é mata ou juba
E estando certo ou errado
Tenho um orgulho danado
Porque sou de Timbaúba!

Timbaúba, 13/07/2012.

0 recomendações
278 acessos

  • Domínio Público

Veja mais

  • Filho de Timbaúba

    Timbaúba, eu fui embora Porque tu não deste escora A outro filho da terra. Mas minha…


  • Orgulho de ser Timbaubense

    Eu sou filho do nordeste E por mais que gire o mundo Meu peito cabra da peste Não…


  • Sobre as horas

    O tempo faz escolhas... Em cenas, ultrapassa os segundos... Tardes em descobertas...…


  • A SAIDEIRA TÁ CHEGANDO!
    A SAIDEIRA TÁ CHEGANDO!

    A Saideira – Breve História cultural da cerveja em Pernambuco, publicação incentivada…


Veja mais

Mais recomendados

Caminhando pelo passado

Caminhando pelo passado

Fundarpe

755 recomendações


Mais acessados


Conteúdo sob Licença Creative Commons