Pernambuco Nação Cultural

Notícias

28.12.2012 - 19h41

CARTA CONJUNTA DO MOVIMENTO CULTURAL DE CAMARAGIBE AO PREFEITO ELEITO JORGE ALEXANDRE

Carta Conjunta do Movimento Cultural de Camaragibe

Marcone da Laia

Andre Agustinho

Descrição da imagem

Fotografia

Prezado Sr. Jorge Alexandre,
Com vistas à construção de um diálogo entre sociedade civil e poder público, representantes do movimento cultural da cidade de Camaragibe, reuniram-se e elaboraram a presente carta, com propostas que acreditamos ser de suma importância para a gestão da cultura no município.
A princípio, salientamos que uma nova gestão traz para nós a crença em um novo caminho no que diz respeito a projetos e programas na área da cultura que há muito não figura como prioridade para os gestores e tem sido tratada longe de seus valores, tendo seu potencial menosprezado.
Camaragibe é historicamente riquíssimo em manifestações culturais populares e possui atualmente uma grande diversidade de grupos, cia’s, artistas e mestres nos distintos segmentos culturais. Durante muito tempo, toda a produção cultural da cidade encontrou enormes dificuldades de produção e difusão; ao contrário do que vem acontecendo no âmbito federal, onde o ministério da cultura buscou o empoderamento e máxima participação da sociedade civil, construção de políticas públicas, transparência dos processos, financiamento e acompanhamentos de projetos, etc., o governo municipal (no que se trata da área cultural) afastou-se dos movimentos e omitiu-se de sua responsabilidade na formulação e gestão de políticas. Durante este período muitos grupos e ações foram extintas e parte das heranças culturais da cidade não é mais reconhecida pela população.
Acreditamos que para uma mudança no atual quadro é imprescindível o entendimento da cultura, no sentido artístico, como uma importante área para o desenvolvimento do município em seus aspectos sociais e econômicos. É necessário que nos voltemos para a Lei Orgânica deste município, que prevê o pleno exercício dos direitos culturais, a integração entre cultura e educação, o diálogo e articulação permanente com as comunidades, entidades e grupos, e a participação destes últimos da discussão dos planos e programas da cultura e o apoio à produção local, dentre tantos outros importantes pontos. Entendemos como urgente a promoção de atividades de valorização da cultura local e de atividades de formação para os trabalhadores da cultura e população em geral. Entendemos como prioridade a conclusão do processo de adesão ao Sistema Nacional de Cultura e a construção e implementação do Sistema Municipal de Cultura, que virá fortalecer e fomentar continuamente a cultura nesta cidade, por meio da efetivação do Conselho Municipal de Políticas Culturais e da criação do Plano e do Fundo Municipal de Cultura; entendemos que é necessário acompanhar as diretrizes estabelecidas pelo governo federal e apropriar-se dos programas e projetos por ele desenvolvidos: A Ação Griô Nacional, o Programa Mais Cultura, as Praças dos esportes e da Cultura, a Cultura Digital e tantos outros, que além de serem programas de governo, foram transformados em projetos de lei, tais como o Bolsa Artista, Vale Cultura e o Cultura Viva.
Desta forma, respeitosamente, nós, movimentos da cultura, artistas, produtores, grupos, pontos de cultura, mestres, griôs, elencamos abaixo as demais ações que consideramos prioritárias para a gestão da cultura no município:

1- Criação de programas e desenvolvimento de projetos contínuos voltados à valorização da cultura local e que compreendam o fortalecimento e ampliação dos trabalhos desenvolvidos pelos grupos da cidade e a divulgação dos mesmos bem como a formação da população em todas as áreas da cultura;
2- Criação de um programa permanente de formação cultural voltado aos trabalhadores da cultura, produtores e participantes de grupos culturais que compreenda as áreas de gestão e produção cultural;
3- Criação de um centro cultural que possa abrigar atividades tais como: ensaios, apresentações, reuniões, exposições, palestras e atividades de formação;
4- Gestão compartilhada dos projetos e programas desenvolvidos pelo poder público e dos equipamentos culturais municipais.
5- Conclusão das obras do teatro municipal e entrega do mesmo à população devidamente aparelhado e adequado para seu usufruto;
6- Elaboração e consolidação do calendário cultural da cidade, onde se façam constar atividades culturais permanentes (que já são atualmente desenvolvidas pelo movimento e outras que venham a ser criadas);
7- Elaboração de editais públicos para o financiamento e apoio de projetos culturais a serem desenvolvidos pela sociedade civil;
8- Formalização e desenvolvimento de parcerias com as secretarias de educação, saúde e assistência social, dentre outras;
9- Desenvolvimento contínuo de atividades educativas e projetos culturais nas escolas públicas do município;
10- Formalização de parcerias com entidades privadas do município e incentivo à participação das mesmas no fomento de projetos e ações culturais;
11- Descentralização de atividades de maneira que estas contemplem as periferias do município, por meio do desenvolvimento de ações itinerantes em parceria com associações e movimentos comunitários.
12- Prestação de contas contínua a toda a população de todos os recursos recebidos pela Prefeitura/Fundação de Cultura.
13- Desenvolvimento de ações amplas e contínuas de difusão/formação, tais como festivais e mostras que contemplem as produções locais em todos os seus segmentos e o intercâmbio com grupos/artistas de outras localidades;
14- Criação de um programa de memória que trate do mapeamento, tratamento e exposição contínua do patrimônio cultural imaterial do município de maneira consistente e abrangente.
15- Revitalização de espaços e restauração do patrimônio material da cidade.

Isto posto, estamos a disposição para discussão das propostas, construção de agendas e gestão compartilhada da cultura, colaborando assim no desenvolvimento do município e sua população.


Aproximadamente quarenta pessoas de diversas áreas da cultura como; Artesanato, Audiovisual, Circo, Contação de História, Dança, Fotografia, Hip Hop, Literatura, Moda, Música, Teatro, Tradição Oral,) participaram e continuam dialogando sobre culturas autônomas, proporcionado pelo DICA - Diálogos Integrados em Culturas Autônomas. E no dia 07 de Janeiro de 2013, acontecerá a próxima roda de diálogos no Espaço de Doca, Rua Maria Adélia Collier, Bairro Novo, Camaragibe - PE.

Comentário e Fotografia de Andre Agustinho "Bela estrutura que teve sua construção concluída em 1891".

Conteúdo sob Licença Creative Commons